Trabalho + Família = Desafio Atual

Menos de 50% das empresas adotam políticas nesse sentido.

Aos oito anos, o pequeno Rafael Nascimento colocou na porta do quarto dos pais um quadro de madeira com a frase “Proibido Falar de Trabalho”. Apesar da pouca idade, ele já sinalizava a necessidade de relacionamento com o pai, que sempre estava trabalhando e ocupado com os compromissos da multinacional. O pai do menino, o engenheiro Fernando Nascimento, é um dos muitos profissionais que têm dificuldades para conciliar trabalho e família. Mas, o que seria preciso fazer para equilibrá-los?

Um estudo da Escola de Negócios da Universidade de Navarra (IESE), na Espanha, realizado pela primeira vez com 100 empresas brasileiras, sendo 67 de grande porte e 33 médias e pequenas, mostra que nem todas as empresas proporcionam a busca do equilíbrio entre família e trabalho ao profissional. O levantamento foi feito com base no modelo International Family-Responsible Employer Index (Ifrei).

Este índice foi criado pela Universidade para identificar os programas das empresas de conciliação entre trabalho e família. Aplicada desde 2000, em 19 países, a metodologia já avaliou 3,8 mil companhias no mundo todo. O estudo mostra que há diferenças significativas no modo como as empresas grandes e pequenas lidam com a questão. Estas últimas ajudam mais os colaboradores porque há maior proximidade no ambiente de trabalho. Muitas organizações, inclusive, promovem confraternizações para integrar funcionários e familiares.

Para Kátia Mestriner, psicóloga e psicoterapeuta de grupo, as empresas atuais estão investindo muito na qualidade de vida do colaborador e da sua família em busca da alta produtividade. “As empresas perceberam que um funcionário feliz tem maior produtividade, pois esta decorre do sentimento de satisfação e reconhecimento no ambiente de trabalho e, inclusive, da própria família. As organizações descobriram que o ser humano é integral, em qualquer ambiente”, conta.

Como exemplo, ela cita os eventos denominados “open-house”, organizados por grandes empresas que convidam os parentes dos funcionários para conhecerem o ambiente de trabalho, gerando satisfação e maior aproximação entre eles. Mas nem tudo é perfeito. Este mecanismo utilizado pelas empresas ocorre, principalmente, pelo excesso de trabalho que vem sendo requisitado de uma parcela de colaboradores. “Hoje, há menos pessoas para produzir mais, e cada vez melhor”, lembra Kátia. Assim, só com muito esforço dos profissionais é que as empresas poderão alcançar os seus objetivos cada vez mais exigentes.

Índice e Cotações

Moedas - 03/06/2020 17:52:19
  • Nome
  • Compra
  •   Venda
  • Comercial
  • 5,067
  • 5,070
  • Paralelo
  • 4,720
  • 5,480
  • Turismo
  • 5,190
  • 5,510
  • Euro
  • 5,821
  • 5,823
  • Iene
  • 0,048
  • 0,048
  • Franco
  • 5,393
  • 5,396
  • Libra
  • 6,540
  • 6,543
  • Ouro
  • 292,190
  •  
Mensal - 04/03/2020
  • Índices
  • Jan/20
  • Dez/19
  • Inpc/Ibge
  • 0,19
  • 1,22
  • Ipc/Fipe
  • 0,29
  • 0,94
  • Ipc/Fgv
  • 0,59
  • 0,77
  • Igp-m/Fgv
  • 0,48
  • 2,09
  • Igp-di/Fgv
  • 0,09
  • 1,74
  • Selic
  • 0,38
  • 0,37
  • Poupança
  • 0,05
  • 0,05
  • TJLP
  • 5,09
  • 5,57
  • TR
  • -
  • -